Circo

 A nossa ida ao circo foi espectacular! “Nunca tinha visto tal coisa!”.

Foi uma óptima ideia!
Os palhaços eram divertidos e os ilusionistas eram mesmo de verdade, ficaram com carinhas de crianças a olhar para todo este divertimento… e, na hora de sairmos, ainda queriam mais, tudo o que viram lhes pareceu pouco. Apesar de o circo ser direccionado para as crianças, os idosos sentiram-se rendidos a este evento.

“Ainda dizem que não há crianças!!”; “o que é aquilo?!”; “…nunca tinha visto tal boneco!!”

Actividades Intergeracionais

 (Feira do livro; Centenário Trindade Coelho; Museus; Passeios Pedestres, …)

 A titulo dos eventos referidos em cima, sugiram ideias distintas entre as diferentes idades o que leva a que idosos e crianças aprendam mutuamente, independentemente das suas idades…

Presente / Visita do Primeiro Ministro

A visita do Primeiro-ministro foi mais uma motivação para sair de “casa” e ver de perto uma pessoa que, de certo modo, é importante para todos e para o País…

Logo que souberam de tal evento, decidiram fazer um presente em nome deles para poderem oferecer ao Senhor Ministro. Assim, resolveram fazer numa tela o logótipo da Santa Casa da Misericórdia de Mogadouro e um panfleto com as actividades que ali realizam diariamente…
O dia chegou e todos vestiram as suas melhores roupas… entusiasmados foram receber o senhor primeiro-ministro, ouviram atenciosamente cada palavra que foi dita e esperaram maravilhados pelo momento certo para poderem entregar o presente que tinham feito com tanto carinho… o reflexo de tudo isto foi o sorriso que se verificou no rosto de cada um no final da cerimónia…

“…ele é mesmo igualzinho ao que aparece na Tv…!!”; “o que lhe devo dizer?”; “…cumprimento-o…”; (…).

Teresa
(Idoso da Santa Casa da Misericórdia de Mogadouro)

Danças de Salão

“…foi muito muito bonito…”, “…gostei muito…”

Fernanda
(Idoso da Santa Casa da Misericórdia de Mogadouro)

 

Esta foi mais uma experiência que os idosos não contavam vivenciar mas, foi fantástico, segundo os comentários deles…

“…nunca tinha visto dançarinos profissionais!!”; “…e as suas vestes!!”

Jardinagem

O jardim é um bem precioso para alguns dos utentes desta casa. O jardim é cuidado como se fosse uma criança mimada…

Artes Plásticas

 Foi por aqui que a actividade nesta Casa começou a principiar e a progredir gradualmente…

 Inicialmente, foi muito complicado tirar estes senhores e senhoras do seu cantinho e do seu mundo fechado em quatro paredes mas, a pouco e pouco conseguiu-se trazer estas pessoas de novo para a realidade e, de certo modo, para alguns, foi novamente um despertar do sorriso e do brilho no olhar que se encontrava adormecido há algum tempo por razões diversas…
 Primeiramente, as artes plásticas eram encaradas pelos idosos como sendo uma actividade que lhes roubava tempo relativamente ao seu descanso e aos seus pensamentos. Actualmente, as artes plásticas são vistas como uma mais-valia na vida de cada uma destas pessoas…

Foram realizadas diversas actividades, desde:
 _ Pintar um desenho com lápis de papel;
 _ Fazer colagens;
 _ Fazer recortes;
 _ Fazer pinturas com tintas (papel e madeira);
 _ Fazer molduras;
 _ Fazer moldes manuais;
 _  trabalhar o gesso;
 _ leituras;
 _ escrita;
 _ …

Festa de São João

Chegou então o desejado dia… no dia 23 de Junho, no Lar de Idosos da Santa Casa da Misericórdia de Mogadouro festejou-se o S. João. 

Os versos que se seguem retratam tudo sobre este dia, foi uma tarde alegre e divertida para todos, ninguém quis deixar de ir, mesmo aqueles que já se sentem com menos forças decidiram arranjar mais um bocadinho de coragem e foram ver e participar na festa que de certo modo lhes irá ficar na memória como um bom momento…

 

“No dia 23 de Junho,

No lar, tivemos festa animada.

Missa às duas e meia da tarde,

E depois marchas ao S. João e sardinhada.

 

 

 A festa do S. João de 2008,

Para o lar ficou na história.

Ainda há mais coisas a fazer,

Que hão-de ficar na memória.”

 

Carolino Alves
(Idoso da Santa Casa da Misericórdia de Mogadouro)

Preparativos São João

 

“Agora andamos noutra função,
 A ensaiar cânticos e danças
 Para a festa de São João.”

Carolino Alves
(Idoso da Santa Casa da Misericórdia de Mogadouro)

 

Os preparativos para a festa de São João foram uma euforia… andava toda a gente desejosa que o dia chegasse, então as ajudas dos idosos foram espantosas, todos queriam colaborar de modo a que a festa deles corre-se muito bem e sem falhas!!
“Mas quando é a festa…”; “…ainda falta muito tempo?!”; “…temos que ensaiar as músicas e as marchas…”; “…e, as saias estão prontas!?”; “os arcos ficaram lindos…”; “…as crianças sempre vêm!?” (…)

Leonida; Teresa; Justina; Carolino; Soledade; M.ª Bárbara; Fernanda; …

(Idoso da Santa Casa da Misericórdia de Mogadouro)

Espaço Internet

 “Já andemos na Universidade,
 A aprender a ler, escrever e contar.
 E na Internet,
 Para aprender a navegar.”

 

Carolino Alves
(Idoso da Santa Casa da Misericórdia de Mogadouro)

 

Esta foi a actividade à qual os idosos chamaram de moderna! Uns tratam-nas como “máquinas”, outros chamam-lhe “universidade” e outros ”coisa boa”…
A verdade é que, o primeiro impacto foi estranho, visto que nenhum dos idosos conhecia um computador mas, actualmente, e após algumas sessões, alguns deles tornaram-se viciados nas “máquinas”…
Relativamente a esta área, os idosos já tiveram várias experiências divertidas, uma delas foi na inauguração do espaço Internet, que proporcionou aos idosos a comunicação com alguns familiares através de um programa chamado “Windows Live Messenger” e o contacto directo com os Mass Média.
Existiram ainda outras experiências/actividades, tais como: o contacto intergerações no espaço Internet, ou seja, a ajuda das crianças em actividades de descoberta para os idosos…

Voluntariado

 “A nossa experiência de voluntariado traduziu-se essencialmente no conhecimento e na convivência com pessoas inesperadamente ricas.

 Só para nomear alguns, fica aqui a sua graça: Dª Glória, Sr. Amândio, Sr. Fernando, Dª Bárbara, Dª Ester, Sr. Dário, Sr. Carolino, Dª Amélia, Dª Leonilda, entre muitos outros com quem tivemos o privilégio de privar semanalmente durante cerca de uma hora e meia à terça à tarde.
 Sedentos de atenção, carinho e de um bom ouvido foi sempre com amabilidade misturada com uma pequena dose de ansiedade, por aos poucos se habituarem à nossa presença, que nos receberam. Foi uma troca permanente: se nos íamos lá para dar também recebíamos muito.
 No nosso regresso a casa, o coração ia repleto de gratidão, de alívio, de boa disposição por termos contactado com seres maravilhosos e com muitas vivências partilhadas.
 Não podíamos deixar de mencionar que guardamos eternamente na memória o sorriso e a constante boa disposição do Sr. António Dinis.”

Professora Ana Filipa & Professora Irene