Misericórdia de Mogadouro é exemplo em respostas sociais

A Santa Casa da Misericórdia de Mogadouro perpetua os valores da solidariedade e do amor ao próximo desde 1559. Provedor há sete anos, João Henriques fala-nos sobre as renovações efetuadas na instituição, as dificuldades da entidade e da sua comunidade e ainda revela os projetos que tem em mente para mais um upgrade.

Os Mogadourenses
A forte crise que se abateu sobre Portugal fez disparar o número de carenciados que depende da Santa Casa da Misericórdia de Mogadouro para sobreviver. A instituição tem demonstrado ser um exemplo de excelência no universo das economias locais, quer pelo cumprimento da sua missão social, quer pela qualidade da assistência que presta aos seus utentes, quer pelas opções de investimento e de manutenção de infraestruturas, quer ainda pelos técnicos que emprega. O nosso entrevistado afirma que os mogadourenses sofreram imenso com o decair da indústria do leite, pois muitos eram aqueles que viviam dessa atividade. “Aqueles que ainda têm a sorte de ter emprego veem-se aflitos para fazer face às despesas, visto que o seu poder de compra diminuiu bastante. A par disto, a comunidade está cada vez mais envelhecida”. João Henriques salienta, ainda, que é necessário olhar para o exterior e interior das próprias instituições. “É preciso olhar para dentro das misericórdias, visto que, por vezes, são mesmo os nossos funcionários a passar dificuldades. Devemos também estar muito atentos à chamada pobreza envergonhada que carece de apoio”.

Há sete anos atrás…

Quando assumiu o cargo de provedor, João Henriques deparou-se, apesar do grande esforço dos seus antecessores, com um casa a necessitar de arrumação, para que fosse possível levar a cabo os propósitos a que se comprometeu. “Há sete anos atrás tinha cerca de noventa funcionários. Hoje, somos duzentos e doze, um aumento de mais de cem por cento. Aumentamos, também, o número de respostas sociais criando mais uma Estrutura Residencial para Pessoas Idosas, uma creche, duas empresas de inserção e uma Unidade de Cuidados Continuados Integrados”, salientou o empreendedor social. As respostas sociais completam-se desde a infância à terceira idade e dividem-se entre Mogadouro e Bruçó. “No que toca à infância temos duas creches (uma delas familiar), um pré-escolar e um ATL. Direcionado para os idosos temos três Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas (ERPI), dois Centros de Dia, uma Unidade de Cuidados Continuados Integrados e o Apoio Domiciliário. Temos ainda duas empresas de inserção (estufa e lavandaria), a Cantina Social e a Loja Sol. Nesta última, recolhemos alimentos, vestuário, brinquedos, entre outras coisas e distribuímos pelas famílias mais carenciadas. Possuímos ainda uma igreja quinhentista que recuperámos na totalidade.”

ERPI São João Batista

A Estrutura Residencial para Pessoas Idosas São João Batista é a joia da coroa desta instituição e foi construída de forma a utilizar as energias renováveis e a oferecer um serviço de elevada qualidade aos utentes. “Foi concebida de raiz, tudo num único piso sem qualquer degrau ou rampa, a pensar nos mais velhos. Parece um condomínio, cada um com o seu espaço, um amplo refeitório similar ao de um hotel, esplanada, snooker, bilhar livre, sauna, banho turco, hidromassagem, piscina, jacuzzi, ginásio, capela e biblioteca. Foi pensado ao milímetro para que os nossos idosos possam gozar de uma vida farta e de qualidade”, explica o nosso entrevistado.

Cantina Social

Esta é a resposta social mais recente da misericórdia, fruto dos tempos muito difíceis que o país tem vindo a atravessar. Está inserida na Rede Nacional de Cantinas Sociais e distribui as refeições à porta das pessoas. João Henriques acrescenta que “fornecemos mais de cem pessoas, com duas refeições diárias. Temos apenas a comparticipação para cem refeições e damos, mais do dobro”.

Parcerias

O Provedor da Santa Casa da Misericórdia enaltece as mais-valias do trabalho em rede e a relação que a instituição mantém com a Câmara Municipal desde sempre e deseja que assim pudesse ser por todo o país. “A autarquia isentou-nos do pagamento de água, ajuda-nos em tudo o que são candidaturas comunitárias e comparticipa financeiramente parte dos projetos aprovados, portanto, nesse aspeto, temos o privilégio de ter esta parceria há muitos anos, independentemente de quem esteja na frente dos seus destinos”.

Dificuldades

Com uma gestão cuidadosa e rigorosa, assente na rentabilização e otimização de todas as valências, tem sido possível fazer da Misericórdia de Mogadouro um exemplo, quer pela quantidade de pessoas a que presta serviços (cerca de 650), quer pelos funcionários que tem (212), quer pelas suas valências e, sobretudo, pela qualidade dos seus serviços. Porém, o provedor alerta para a injustiça na distribuição das comparticipações. “As comparticipações do Estado ajudam as IPSS com acordos, mas o facto de serem todos iguais, faz com que essa distribuição não seja equitativa. Tomemos como exemplo o Apoio Domiciliário: Mogadouro é um concelho com uma extensa área geográfica, é sete vezes e meia maior que o concelho de Lisboa, onde as nossas carrinhas percorrem em cada circuito cerca de cem quilómetros, para distribuir as refeições. Isto multiplicado por dois, visto que entregamos duas vezes por dia. Ora, outra IPSS cuja área de intervenção seja menor recebe tanto como nós e tem muito menos custos. E ainda temos de considerar todas as outras deslocações para efetuar com qualidade este serviço (higiene pessoal, higiene habitacional, enfermagem, fisioterapia, cabeleireira, animação social, psicologia, etc.” Para futuro, o Provedor pensa que na área das demências a Misericórdia de Mogadouro tem um caminho a percorrer. Para João Henriques, a tendência do país é para melhorar e aconselha a ter esperança no futuro. “Toda a gente tem futuro, mesmo aqueles que pensam que só têm passado e presente. Este futuro pode ser um dia, uma semana, um mês ou até vinte ou mais anos. Acredito que o panorama nacional e internacional vai melhorar. Enquanto precisarem da nossa instituição, aqui estaremos de portas abertas para vos receber, oferecendo serviços de alta qualidade”.

in Pais Positivo (suplemento do semanário Sol), http://paispositivo.comportugal.com/compra_panspositivo86_17372

I Feira das Profissões

O CLDS+ de Mogadouro em parceria com o Agrupamento de Escolas de Mogadouro, promoveu a I feira das Profissões, onde participaram mais de 85 alunos deste agrupamento.

A atividade, consistiu numa primeira abordagem por parte da psicóloga, que aplicou os testes vocacionais aos alunos, de onde se ficou a conhecer as preferências/aptidões destes jovens para o futuro.

Posteriormente através de um convite a alguns profissionais dessas que se destacaram nos resultados dos testes, para estarem presentes e darem o testemunho do seu trabalho nas diversas áreas , nesta I feira, tivemos a presença de elementos da GNR,

uma Advogada, três engenheiros (Mecânico, Florestal e Química), uma fisioterapeuta, e duas equipas de enfermagem e INEM.

Contamos ainda com a presença De algumas Instituições do Ensino Superior, Universidades e Politécnico, que foram igualmente convidadas a estarem presentes, e divulgarem a sua oferta formativa.

O feedback não podia ser mais positivo, e deixamos o nosso agradecimento a todos os profissionais que proporcionaram aos jovens um conhecimento mais próximo do seu trabalho, ao agrupamento de escolas e a todos os participantes.

Perigos da Internet

Com o intuito de sensibilizar os mais novos para a necessidade de prevenir comportamentos de risco relativamente ao uso da internet, O CLDS+ promoveu, com a colaboração da GNR, a ação de sensibilização “Perigos da Internet”.

Estiveram presentes 40 crianças, entre os 6 e os 12 anos de idade, inscritas no Centro de Atividades de Tempos Livres da SCMM.

Dia Internacional da Mulher

O CLDS+ com o intuito de comemorar o Dia Internacional da Mulher, vai realizar dia 09 de Março uma caminhada pelas 10h pelas ruas de Mogadouro, terminando no castelo com uma largada de balões.

Com o desenvolvimento desta atividade pretende-se sensibilizar e incentivar as pessoas para a importância da mulher no mundo e na sociedade, bem como chamar a atenção para o papel e a dignidade da mulher e alertar para a questão dos direitos da mulher, estes que são muitas vezes violados e postos em causa.

Carnaval

Á semelhança do ano passado, o CLDS+ assinalou o dia de carnaval com um desfile pelas ruas de Mogadouro, seguido de um baile de carnaval e lanche convívio com os participantes.

A adesão foi magnífica, com mais de 150 participantes, não só pelos grupos organizados de algumas aldeias, bem como instituições que fizeram questão de participar, e população em geral, o desfile contou com todo o tipo de pessoas, da mais variadíssima faixa etária e máscaras.
A equipa do CLDS+ agradece mais uma vez a todos os envolvidos.

Empreendedorismo

Amanha sexta-Feira dia 09/01/2015, o CLDS+ promoverá na Casa da Cultura de Mogadouro, uma palestra sobre empreendedorismo, que contará com a presença do DR. José Humberto do gabinete de Empreendedorismo do IPB, e o Dr. Telmo, Diretor do IEFP, e com o testemunho de 2 jovens empreendedores do nosso concelho, não deixe de comparecer.

Recolha de Bens

À semelhança do ano transato o CLDS+ tem a decorrer a Campanha de Recolha de Bens para distribuição a famílias carenciadas do concelho. Este ano contamos com a colaboração de jovens voluntários, que dispensaram um bocadinho do seu tempo para sensibilizarem a comunidade local que se dirigiu aos supermercados Intermarché e Minipreço durante o fim de semana.

 O nosso muito obrigada a todos os que de alguma forma estão a contribuir para o sucesso da campanha!

 …E não se esqueçam de deixar o seu donativo nos locais já referidos, na junta de freguesia da sua aldeia ou nas instalações do CLDS+…

Atividades CLDS+

 

“Ser um bom cidadão” teve como principal objetivo promover junto das crianças a importância da cidadania na construção de uma sociedade com valores humanos, como a solidariedade e a cooperação, bem como coresponsabilizá-las na adoção de comportamentos mais responsáveis e construtivos na relação com os outros

 

Ação de sensibilização intitulada “Alimentação Saudável”