Informação: Serviço Apoio Domiciliário à Demência

O Serviço de Apoio Domiciliário à Demência (SADD) da Santa Casa da Misericórdia de Mogadouro, devido ao agravamento da situação de pandemia por COVID-19 e conforme indicação do Governo, encontra-se em regime de teletrabalho desde o dia 2 de novembro de 2020.

Assim, tentou manter-se a base de uma intervenção normativa com estes utentes e com as suas famílias, apenas passando para um registo telefónico em detrimento do presencial e reforçando o apoio devido aos problemas suscitados pelo contexto de pandemia e pelo isolamento (sobretudo sintomatologia depressiva e ansiógena).

No âmbito do trabalho da Psicologia Clínica, os atendimentos incidem sobretudo na utilização das seguintes técnicas: terapia das reminiscências; terapia da orientação para a realidade; terapia da validação e gestão do stress e da ansiedade. São ainda realizados ensinos/formação aos cuidadores acerca de gestão de comportamentos desafiantes e feito o controlo de sintomas psicológicos e comportamentais, inerentes aos processos demenciais. Por fim, é prestado apoio no luto às famílias.

No que diz respeito à Enfermagem, as tarefas passam por fazer a gestão da medicação e dos pedidos de renovação de receituários; a deteção de risco de queda e de desenvolvimento de úlceras de pressão; a realização de ensinos/formação aos cuidadores acerca da medicação e de manipulação ambiental para diminuir os riscos; o levantamento das necessidades dos utentes; a elaboração de listagem de utentes para consulta de Neurologia, conforme as necessidades atuais.

Ambas as especialidades acima mencionadas fazem o acompanhamento e monitorização do estado clínico dos utentes, articulando com a Neurologia sempre que necessário. São também mantidos os contactos com as entidades externas, em particular com o Centro de Saúde, nas pessoas dos Médicos e Enfermeiros de família sempre que necessário.

Ao nível da Neurologia é feita a constante renovação de receituários; realizadas consultas e atendimentos quinzenais aos utentes e seus cuidadores e feito apoio e consultas via telefone aos utentes das ERPIs desta instituição.

O apoio ao cuidador e às famílias, com temáticas específicas, é feito pelas três especialidades, bem como as intervenções em crise que se vão revelando necessárias. São realizadas reuniões semanais para discussão de casos e criação de estratégias multidisciplinares personalizadas.

Ainda, esta equipa tem realizado formação externa constante, por forma a potencializar os recursos possíveis do regime de teletrabalho e tendo em conta a importância da aprendizagem contínua para a aquisição e melhoramento de competências profissionais.

De momento, e por motivos de necessidade de avaliação multidimensional face a face, esta equipa não se encontra a integrar novos utentes. Contudo, continuamos a receber pedidos e novas sinalizações que serão devidamente tratadas assim que nos seja permitido regressar ao terreno. A equipa regista à data 80 utentes ativos e considera que o apoio prestado num novo formato, ao qual todos tiveram de se adaptar, tem sido efetivo e evidenciado bons resultados.

OUTRAS NOTÍCIAS NOTÍCIAS